Ponta das Feiticeiras

Costão rochoso entre a Praia dos Ingleses e a Praia Brava com número elevado de blocos em terreno predominantemente acidentado. Problemas extremamente técnicos para os apaixonados pela modalidade.


Página elaborada com informações gentilmente organizadas e cedidas pelo escalador Elton Murbach Koga com a contribuição de Adriano Bueno Telles Pereira, João Cassol de Oliveira e outros boulderistas da região.

Histórico

[ Topo | Visão geral | Como chegar | Laser | Machado| Celebridades | Piscininhas | Último ]

Também conhecida como Ponta dos Ingleses Norte ou Costão Norte tem seus primeiros registros de escalada no início dos anos 2000, embora é provável que tenha sido frequentada muito antes disso.

As informações usadas para elaboração do croqui, portanto, são resultado de cerca de 20 anos de informação passada boca a boca. Assim, muitas linhas podem apresentar nomes diferentes dos apresentados. Para todos os efeitos, o importante é que com as informações coletadas  e organizadas pelos escaladores e agora divulgada neste guia online permite que a comunidade escaladora possa desfrutar desta importante área de escalada em blocos de Florianópolis.


Visão geral

[ Topo | Histórico | Como chegar | Laser | Machado | Celebridades | Piscininhas | Último ]

É uma área de escalada em boulders (blocos) com excelente qualidade de rocha, embora bastante abrasiva. Apresenta problemas dos mais variados tipos, com graduação que pode chegar até V8 (sem contar os projetos). Contém linhas de tetos, negativos, aderência, highball, e fissuras (inclusive fissuras de teto).

Visão geral da área de escalada da Ponta das Feiticeiras (Imagens de Satélite: Google Earth; Foto: Acervo pessoal de Elton Murbach Koga; Gráficos: Rodrigo Castelan Carlson)

A área de escalada está dividida em cinco setores: Setor Cortado à Laser, Setor do Machado, Setor das Celebridades, Setor das Piscininhas e Último Setor.

No setor do Machado e das Piscininhas é possível escalar com apenas um crash pad, mas para poder aproveitar as melhores linhas é recomendado ter pelo menos três crash pads. É recomendado quatro crash pads no Último Setor. Em dias de maré alta ou com forte ondulações pode ser que alguns boulders fiquem molhados, mas sempre há opções. Recomenda-se levar escova não abrasiva para remover o sal das agarras. Não use escovas de metal ou qualquer outro tipo que possa danificar a rocha. Muitos blocos contem cristais que soltam ao longo do tempo, usar materiais agressivos pode acelerar o processo erosivo das agarras.

Os croquis apresentam as principais linhas, embora existam diversas outas que podem ser exploradas livremente pelos escaladores. De fato, várias linhas já escaladas não foram apresentadas aqui, ou por serem pouco frequentadas, ou para não causar confusão na identificação das principais linhas.

Muitos problemas de boulder foram graduados na época em que não era comum a utilização do sistema Estadunidense (Hueco Tanks) aqui na região. Tentou-se buscar para esse guia uma padronização, mas deve-se considerar uma margem de erro e até, talvez, um  distanciamento de graduações de outras áreas do Brasil e do mundo. Utilize com cautela e adote a graduação apenas como uma referência. Com o tempo, havendo mais escaladores frequentando o local, será possível ajustar as graduações.

É possível escalar o ano inteiro, porém no verão é melhor no período da tarde já que o costão é voltado para leste.


Como chegar

[ Topo | Histórico | Visão geralLaser | Machado | Celebridades | Piscininhas | Último ]

Para chegar à trilha que leva a esta área de escalada deve-se ir até o final norte da Praia dos Ingleses, isto é, até o final da Rua das Gaivotas. Após o acesso à praia pela passarela, basta seguir a trilha marcada pelo costão que leva à Praia Brava. Essa trilha é muito popular entre turistas e, por conta disso, também local de acidentes fatais recentes. Circule com cautela na trilha e nos costões.

Mais detalhes do acesso por carro e por ônibus, bem como da trilha são fornecidos a seguir.

De carro

Estacionar no final da rua das Gaivotas ou numa das transversais próximas. Há quantidade ampla de estacionamento, mas no verão pode ser difícil estacionar exceto de manhã cedo ou no final da tarde.  Também no verão, o retorno para o centro da cidade pode levar horas em função dos congestinamentos, mesmo à noite. Abaixo, por conveniência, é oferecido como destino no Google Maps a localização obtida da busca por “Rua das Gaivotas, 2383”. É possível definir uma rota diretamente no mapa clicando em “Rotas” e indicando o local de origem.

De ônibus

O sistema de transporte coletivo de Florianópolis atende essa região com um serviço de ônibus regular, mas com poucos horários. No verão há mais horários, mas pode ser um martírio em função de ônibus lotados e longas filas de espera no retorno. Para informações de horários e itinerário de ônibus recomendamos o uso do aplicativo Moovit em seu smartphone ou pela web (ver abaixo). A busca pelo destino “Rua das Gaivotas 2383” indica as rotas possíveis até o ponto de ônibus mais próximo do fim da rua das Gaivotas. A partir do ponto que fica próximo à rua Canto das Sereias, basta continuar a pé por cerca de  100 m até o final da Rua das Gaivotas e acessar a passarela de madeira que leva à praia. O próprio Moovit permite inverter a origem e o destino para obter as informações do sentido contrário e editar o horário de partida ou chegada.

Trilha

Após chegar na praia, mais 200 m de caminhada em direção norte levam até o costão, onde há uma trilha marcada. Detalhes de acesso a cada setor a partir da trilha estão na respectiva seção, se necessário.


Setor Cortado a Laser

[ Topo | Histórico | Visão geral | Como chegarMachado | Celebridades | Piscininhas | Último ]

Este setor apresenta duas linhas, porém uma delas está a maior parte do tempo molhada e não foi cadastrada. É possível ver o bloco a partir da praia. Recomenda-se pelo menos dois crash pads.

Todos os problemas oferecem descidas alternativas com desescalada relativamente fácil.

Croqui sobre foto do problema de boulder do Setor Cortado a Laser na Ponta das Feiticeiras. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
  1. Cortado a laser – V3

Setor do Machado

[ Topo | Histórico | Visão geral | Como chegar | Laser | Celebridades | Piscininhas | Último ]

O acesso é feito a partir da trilha. Assim que passar pelo grande bloco à esquerda da trilha (ver imagem), caminhar mais uns 80 m até avistar uma grande laje de pedra bem próxima à trilha. Seguir pela laje e logo será possível avistar os boulders.

Os problemas marcados com asterisco (*) iniciam com o escalador sentado (Sit Down Start). Todos os problemas oferecem descidas alternativas com desescalada relativamente fácil.

  1. Gratidão* – V2
  2. Incisivo central* – V3
  3. Meia vida* – V2
  4. Sem nome* – V0
  5. Machado – V6
  6. Sem nome* – V1
  7. Travessia da cascata* – V3
  8. Cascatinha* – V0
  9. Cascata – V2
  10. Cachoeira* – V5
  11. Antropocósmico* –  V6
    Observações: Problemas 7 e 10 em sequência.
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor do Machado na Ponta das Feiticeiras – Parte 1/3. Os problemas marcados em cinza aparecem no próximo croqui e os problemas 7 a 11 em croqui próprio (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor do Machado na Ponta das Feiticeiras – Parte 2/3. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor do Machado na Ponta das Feiticeiras – Parte 3/3. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)

Setor Celebridades

[ Topo | Histórico | Visão geral | Como chegar | Laser | Machado |  Piscininhas | Último ]

O acesso é feito a partir da trilha. Assim que passar pelo grande bloco à esquerda da trilha (ver imagem no Setor Machado), caminhar mais uns 200 m até avistar uma grande bloco em cima de uma laje grande. O bloco visualizado é o principal. Também pode ser acessado a partir do Setor do Machado, seguindo pelo costão por aproximadamente 100 m.

Os problemas marcados com asterisco (*) iniciam com o escalador sentado (Sit Down Start). Todos os problemas oferecem descidas alternativas com desescalada relativamente fácil.

  1. Sem nome – V0
  2. Boulder do Cotozinho – V1
  3. Aprendiz de HighBall – V2
  4. Secret place* – V?
  5. Sem nome* – V1
  6. Fulano* – V3
  7. Ciclano* – V2
  8. Boulder do Guille* – V7
  9. Bem na foto* – V5
  10. Projeto – ?
  11.  Boulder do Balen* – V8
    Observações: começa na outra face e finaliza pela aresta.
  12. Projeto variante do Balen – ?
  13. Caverninha* – V5
  14. Boulder da Juliana* – V3
  15. Fissura de teto – V7
  16. Cabeça de cobra – V6
  17. Virada salgada – V4
  18. Aderência – V1
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Celebridades na Ponta das Feiticeiras – Partes 1-2/9. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Celebridades na Ponta das Feiticeiras – Parte 3/9. O problema marcado em cinza aparece com destaque nos próximos croquis. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Celebridades na Ponta das Feiticeiras – Parte 4/9. Os problemas marcados em cinza aparecem em destaque nos próximos croquis. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Celebridades na Ponta das Feiticeiras – Partes 5-6/9. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Celebridades na Ponta das Feiticeiras – Partes 7-8-9/9. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)

Setor Piscininhas

[ Topo | Histórico | Visão geral | Como chegar | Laser | Machado | Celebridades | Último ]

Para este setor, é recomendado o uso de três crash pads.

  1. Bate estaca* – V3
  2. Sem nome* – V?
  3. Rola moça* – V6
  4. Sem nome* – V0
  5. Sem nome – V0
  6. Sem nome* – V1
  7. Sem nome – ?
  8. Herói esquecido* – V5/6
  9. Sem nome* – ?
  10. Sem nome – ?
  11. Sem nome – ?
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Piscininhas na Ponta das Feiticeiras – Parte 1/4. Os problemas aparecem sob outro ângulo nos croquis seguintes. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Piscininhas na Ponta das Feiticeiras – Parte 2/4. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Piscininhas na Ponta das Feiticeiras – Parte 3/4. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Setor Piscininhas na Ponta das Feiticeiras – Parte 4/4. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)

Último Setor

[ Topo | Histórico | Visão geral | Como chegar | Laser | Machado | Celebridades | Piscininhas ]

Para este setor, é recomendado o uso de quatro crash pads.

  1. Segura o beiço* – ?
  2. Sem nome* – V1/V2
  3. Mijado – ?
  4. Valente do teclado – V1
  5. Sem nome – V2
  6. Pinga fogo* – V3
  7. Paranoia* – V3
Croqui sobre foto dos problemas de boulder do Último Setor na Ponta das Feiticeiras. (Foto: Elton Murbach Koga; Gráficos: Elton Murbach Koga e Rodrigo Castelan Carlson)